Feira de Santana
+30...+30° C
Dólar:   R$ 4,146
Euro:   R$ 4,841
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Feeds

Saúde

todas as notíciasseta

Técnica inovadora é utilizada em vários tratamentos

Anne Caroline Galvão Portugal Passos, Dermatoterapeuta, Laserterapeuta, conta que o procedimento é seguro, e traz muitos benefícios


28/10/2019 às 05:44h

Técnica inovadora é utilizada em vários tratamentos
Crédito: Divulgação

O microagulhamento ou Indução Percutânea de Colágeno por Agulhas (IPCA) é um procedimento dermatológico baseado em diversas agulhas bem pequenas que perfuram as camadas da pele para estimular o colágeno. A técnica é indicada para tratamentos faciais (cicatrizes de acne e melasma), corporais (estrias) e capilares (alopécia).


A técnica serve para induzir a formação de colágeno fisiológico e permitir que alguns ativos penetrem melhor em determinado local, a exemplo da pele, rosto, corpo e a nível capilar. Desse modo, temos um tempo maior quando induzimos através do microagulhamento mantendo assim, esse colágeno por mais tempo.


Segundo Anne Caroline Galvão Portugal Passos, Dermatoterapeuta, Laserterapeuta Esteta da Clínica Regenere, o microagulhamento é um procedimento seguro, e que traz muitos benefícios. “Mas é importante procurar um profissional qualificado porque o microagulhamento é uma técnica que tem risco de contaminação. Durante a sessão a pele é rompida pelas agulhas podendo causar infecções bacterianas, entre outras complicações e nesse momento está levando alguns riscos para aquela região, por isso é necessário que o profissional seja habilitado e que conheça técnicas assépticas. O ambiente também deve ser adequado”, informou.


A dermatoterapeuta assegura que a maioria das pessoas podem realizar o procedimento e que existem contraindicações relativas. “Pacientes hipertensos que estão com a pressão descompensada, só devem fazer caso estejam com a pressão controlada.


Pacientes diabéticos podem fazer, mas devemos ter muito cuidado, porque eles têm dificuldade na cicatrização. Mas caso esteja compensado, com os exames em dia, estar apto para fazer o procedimento. Pacientes com lesão de pele ou com acne ativa também não podem fazer o microagulhamento, só depois que a gente restabelecer a pele”, explicou.


De acordo com a dermatoterapeuta, que tem como diferencial o Microagulhamento Fotobiomodulado, a procura pelo procedimento em Feira de Santana tem aumentado consideravelmente. “Hoje temos pacientes de 20 anos em diante, que tem nos procurado com várias demandas. Por isso, quem tiver oportunidade de fazer invista porque realmente traz bons resultados”, relatou.


Como é feito o microagulhamento


A maioria das pessoas podem realizar o procedimento, porém, existem algumas contraindicações relativas.


Antes de iniciar a sessão de microagulhamento a pele deve ser preparada. O procedimento é realizado com anestesia na área da pele que será tratada. Em seguida, é feito o microagulhamento. Os rolos ou equipamentos que serão utilizados pela dermato variam de acordo com a necessidade de cada paciente. É importante que o procedimento seja feito em um consultório dermatológico com a utilização de materiais estéreis e descartáveis. O procedimento leva em torno de uma hora e meia, dependendo da área. A cicatrização acontece de forma fisiológica, conforme o processo inflamatório vai sessando, essa cicatrização vai acontecendo com a formação de um novo colágeno, de um novo tecido, nesse caso um tecido sadio.


Depois de feito o microagulhamento, a pele trabalhada precisa receber cuidados especiais durante algum tempo. A recomendação primordial é não tomar sol durante o período que está ocorrendo o processo de cicatrização, que leva em torno de 20 a 30 dias. Não fazer uso de filtro solar nas primeiras 24 horas e não fazer atividade física no mesmo dia, por causa do suor, pois é ácido e pode agredir a área que já foi lesionada pelo procedimento.


A dermatoterapeuta disse que se existem cursos que habilitam o profissional é porque o procedimento não pode ser feito por qualquer pessoa. Até porque, pra ter um bom resultado é preciso saber o que está fazendo. “Minha visão como profissional é que o microagulhamento veio para agregar valor com outras associações conseguindo assim resultados extraordinários. Trabalhamos com laser terapia, ledterapia, tudo isso associado ao microagulhamento para poder biomodular esse processo inflamatório e consequentemente dar mais condições a esse tecido que vai se refazer com um colágeno mais saudável”, finalizou.


Maiores informações a respeito do procedimento pelo telefone (75) 99221-3016.

REPORTAR ERROREPORTAR ERRO

Embasa 5

TVGeral

Jau Ao vivo direto da Praça Padre Ovídio em Feira de Santana
Publicidade
Santana
Vilage
PMFS Escola
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia
Ornamentação e Decoração de Festas