Feira de Santana
+30...+30° C
Dólar:   R$ 4,146
Euro:   R$ 4,841
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Feeds

Saúde

todas as notíciasseta

Obesidade aumenta risco de doenças cardiovasculares

Produtos do metabolismo da glicose contribuem para o endurecimento das grandes artérias que repercute com elevação da pressão sistólica, elevando riscos de infartos e derrames


10/10/2019 às 04:00h

Obesidade aumenta risco de doenças cardiovasculares
Crédito: Reprodução

Na semana em que se comemora o Dia Mundial de Prevenção da Obesidade, celebrado nesta sexta-feira, 11 de outubro, o cirurgião cardiovascular, Dr. André Guimarães, chama a atenção para os riscos das doenças cardiovasculares causadas pelo excesso de peso e pela obesidade. A data de conscientização e prevenção foi instituída pela Organização Mundial da Saúde em 1997. Dr. André Guimarães, informa que prevenção e controle dos fatores de risco são imprescindíveis para combater a obesidade e suas doenças associadas, como diabetes, hipertensão e complicações cardiovasculares.


“As doenças cardiovasculares estão entre as principais causas de óbito no Brasil e algumas estão diretamente ligadas à obesidade: acidente vascular cerebral (AVC), infarto do miocárdio, hipertensão e diabetes. Daí a importância da prevenção e do cuidado com a obesidade que também é uma doença”, alertou o cardiologista.


De fato, produtos do metabolismo da glicose contribuem para o endurecimento das grandes artérias que repercute com elevação da pressão sistólica, elevando riscos de infartos e derrames. O médico ressalta que o excesso de peso e a obesidade causam mudanças importantes na estrutura e no tamanho do coração, além de comprometer seu funcionamento. “O coração do obeso precisa de um esforço maior para conseguir bombear o sangue. Isso ocorre porque células gordurosas aumentam o risco de entupimento das artérias, dificultando o desempenho adequado do coração”, esclarece Dr. André.


O aumento do número de pessoas com excesso de peso, que hoje atinge mais de 50% da população brasileira, é preocupante. Caso nada seja feito para reverter à curva de crescimento da obesidade, em 2025, o Brasil contará com cerca de 11,3 milhões de crianças com excesso de peso, 400 mil pré-diabéticos, 150 mil terão diabetes tipo II e 1 milhão será hipertensa, segundo estimativas do Ministério da Saúde. No mundo, serão cerca de 700 milhões de obesos.


Sobre a obesidade: Prevenção e tratamento


Sabendo-se que mais da metade dos brasileiros estão com sobrepeso e obesidade este é um quadro preocupante tanto para o momento atual quanto para o futuro, uma vez que o sobrepeso não tratado evolui para obesidade. A combinação de uma dieta balanceada e a prática de exercícios físicos é a maneira mais recomendada para o controle do peso e dos fatores de risco que podem desencadear o surgimento de diversas doenças.


O tratamento da obesidade também pode ser feito, em alguns casos, com a combinação de medicamentos, assim como, em último caso, com a realização da cirurgia bariátrica. Seja qual for o método utilizado para o emagrecimento, as placas de gordura que estão depositadas nas artérias do coração permanecerão lá, porém numa condição estável que oferece menor perigo. Quando tratamos os fatores de risco a chance dessa placa sofrer inflamação diminui. Ou seja, vai oferecer menor risco de causar problemas. Com o emagrecimento, as chances de eventos adversos no coração diminuem consideravelmente.

REPORTAR ERROREPORTAR ERRO

Embasa 3

TVGeral

Jau Ao vivo direto da Praça Padre Ovídio em Feira de Santana
Publicidade
Vilage
Santana
PMFS Airton Senna
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia
Ornamentação e Decoração de Festas