Feira de Santana
+30...+30° C
Dólar:   R$ 4,146
Euro:   R$ 4,841
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Feeds

Municípios

todas as notíciasseta

Fórum aborda desenvolvimento da indústria na BA

Indústria 4.0 é uma expressão que engloba algumas tecnologias para automação e troca de dados e utiliza conceitos de sistemas ciber-físicos, Internet das coisas e computação em nuvem


14/05/2019 às 06:02h

Fórum aborda desenvolvimento da indústria na BA
Crédito: Reprodução

A Indústria 4.0 como estratégia de inserção competitiva nos mercados foi debatida nesta terça-feira (14), no II Fórum Baiano de Negócios e Oportunidades Internacionais, realizado na Federação das Indústrias da Bahia (Fieb).


Questões como a melhoria da educação, financiamento de pesquisa e inovação, e as potencialidades de cada Território de Identidade do estado foram alguns dos assuntos tratados no debate, que com contou com a mediação do superintendente de Planejamento Estratégico da Secretaria do Planejamento do Estado (Seplan), Raniery Barreto, representando o secretário Walter Pinheiro. Indústria 4.0 é uma expressão que engloba algumas tecnologias para automação e troca de dados e utiliza conceitos de sistemas ciber-físicos, Internet das coisas e computação em nuvem.


Após fazer um breve histórico do planejamento governamental na Bahia, Raniery destacou que o Governo está finalizando o Plano de Desenvolvimento Integrado (PDI), que é o planejamento de longo prazo para a Bahia, tendo como horizonte o ano de 2035. “Este é um plano que tem a educação, ciência, tecnologia, inovação e desenvolvimento produtivo como eixos estratégicos, importantes setores para potencializar a indústria 4.0 em nosso estado”, disse. Ele também ressaltou a decisão do governo de ter como referência os territórios baianos para o planejamento e elaboração de políticas públicas.


De acordo com Leonel Leal Neto, Diretor Geral do CEERI, esse segundo Fórum de Negócios e Oportunidades Internacionais tem como objetivo apresentar ao poder público e às entidades privadas oportunidades de negócios internacionais. “Na realidade, nós sabemos que 1,4 trilhão de dólares todos os anos saem de um conjunto de países e vão para outros na condição de investimento estrangeiro direto e a Bahia pode e tem grande capacidade para participar de forma mais ativa na condição de recebedor desses investimentos estrangeiros”, disse Leal.


A mesa, que integrou o Fórum, também foi composta por Lara Sorensen, do Senai-Cimatec, Paulo Pietrobon, da Associação baiana de Starups e de Washington Rocha, da Secretaria de Tecnologia e Inovação do Estado (Secti).

 

Com promoção do Centro de Estudos e Estratégias em Relações Internacionais (CEERI), Fieb e Sebrae, o evento contou ainda com as mesas; Características e tendências dos investimentos estrangeiros no setor produtivo e Recursos internacionais par ao setor produtivo, e com a oficina; Acordos comerciais como estratégia de internacionalização.  

REPORTAR ERROREPORTAR ERRO

PM Santo Estevão

TVGeral

9ª Edição direto do Shopping Bela Vista em Salvador
Publicidade
Academia First
Elo Engenharia
Vilage
First
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia
Ornamentação e Decoração de Festas