Feira de Santana
+30...+30° C
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Feeds

Manifestações

todas as notíciasseta

MP do RJ vai apurar casos de violência em manifestações

Em nota, a instituição afirmou que “repudia os atos violentos observados na manifestação”


30/04/2017 às 05:08h

MP do RJ vai apurar casos de violência em manifestações
Crédito: Reprodução

O Ministério Público do Estado do Rio (MPRJ) vai apurar os atos de violência praticados durante os atos contra as reformas trabalhistas e previdenciárias, nesta sexta-feira, 28. Em nota, a instituição afirmou que "repudia os atos violentos observados na manifestação".


No comunicado, o MPRJ diz que deve cumprir o papel constitucional de defensor dos direitos e das garantias fundamentais da sociedade, além de exercer o controle externo da atividade policial. Serão apurados tanto excessos praticados pelos agentes públicos que, destaca o MP, devem garantir o direito legítimo de manifestação, quanto daqueles que depredaram e incendiaram bens públicos e de uso comum.

 

No dia seguinte aos protestos, o centro do Rio amanheceu com carcaças de ônibus queimados nas ruas e diversos bancos, edifícios, estações de metrô e VLT depredados. Pelo menos sete pessoas foram feridas nas manifestações. Elas foram para o Hospital Municipal Souza Aguiar e duas delas ainda estavam internadas na manhã deste sábado, 29.

 

Com um início pacífico, os atos durante a greve geral do dia 28 no Rio acabaram em um confronto de grandes proporções entre policiais e manifestantes mascarados na Cinelândia, centro da cidade. No início da noite, os ativistas se concentraram no local para um ato conjunto das centrais sindicais. A manifestação começou, mas, enquanto sindicalistas discursavam, jovens mascarados destruíam orelhões e ateavam fogo a lixo, além de atacar equipamentos públicos. A Polícia Militar avançou, jogando bombas de gás.

 

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-RJ) criticou a "violenta ação da Polícia Militar contra milhares de manifestantes". Em nota a PM declarou que agiu "em vários distúrbios, reagindo à ação de vândalos que, infiltrados entre os legítimos manifestantes, promoveram atos de violência e baderna pelo centro da cidade".

 

A investigação do Ministério Público será realizada pela Assessoria de Direitos Humanos, do Grupo de Atuação Especializada em Segurança Pública (GAESP/MPRJ) e dos Centros de Apoio às Promotorias de Justiça Criminais e de Cidadania.

FONTE: Notícias ao Minuto
REPORTAR ERROREPORTAR ERRO

Gov Bahia

TVGeral

Live da Esperança. Comandada pelo Frei Mário Sérgio
Publicidade
ENS
Gov Bahia
ENS
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia
Ornamentação e Decoração de Festas