Feira de Santana
+30...+30° C
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Feeds

Municípios

todas as notíciasseta

Prova teórica reprova mais de 35% dos candidatos na Bahia

Os números de inaptos da prova teórica ainda são considerados altos


24/11/2014 às 09:27h

Prova teórica reprova mais de 35% dos candidatos na Bahia
Crédito: Reprodução

A prova de legislação do Detran – BA (Departamento Estadual de Trânsito) reprova mais de 30% das pessoas que estão no processo de para obter a CNH (Carteira Nacional de Habilitação). O índice de 2014 se mantém na mesma média do ano passado.


Os dados mostram que a prova prática continua sendo a que mais reprova em todo o estado da Bahia. Porém, os números de inaptos da prova teórica ainda são considerados altos. Só este ano 81 mil candidatos perderam, dos 235 que fizeram, até o início de novembro. Ano passado, das 257 mil que realizaram a prova de legislação, 92 mil pessoas não atingiram a pontuação mínima para ser aprovado, o que equivale a 35% de inaptos.


Segundo o Assessor Técnico do Detran-BA, Major Génesio Luide, o principal fator da reprovação é falta de estudo. “Atribuímos o índice de reprovação à maneira na qual os candidatos estudam. A melhor maneira de estudar é praticar os simulados disponíveis na internet”, disse.


As cinco matérias que compõem a prova Teórica do Detran, são: Primeiros Socorros, Direção Defensiva, Legislação, Meio Ambiente e Cidadania e Mecânica Básica. A de legislação é que tem a maior carga horária e consequentemente a que mais reprova, conforme o major Luide.


“É exigido que o candidato acerte 70% da prova e chegar a 21 pontos, das 30 questões. Acho que a reprovação é por falta de estudo dos alunos, pois o corpo docente das autoescolas é de professores bem preparados”, afirmou. Ele afirmou ainda que toda autoescola é fiscalizada e, caso não atinja um nível mínimo de aprovação, é descredenciada.


A administradora Patrícia Sampaio, 24, perdeu na prova teórica e teve dificuldades para dar continuidade ao processo da CNH. “Não me preparei para a prova, fiz as aulas em dias alternados porque não tive tempo para fazer os 15 dias de aulas consecutivas, isso atrapalhou. E para compensar isso, eu precisaria ter feito simulados, estudado em casa, mas não estudei. Fiz apenas dois simulados um dia antes da prova, acabei fazendo 20 pontos, bati na porta”, revelou.


Ela conta que após esse processo a rotina diária estava puxada e por isso acabou perdendo o laudo. “Não tive mais tempo para prosseguir, e quando me dei conta estava prestes a perder a validade do laudo que é de um ano, infelizmente perdi dinheiro e agora terei que recomeçar o processo porque preciso da carteira”, explicou.


Na prova prática, a que mais reprova no estado, em 2013, 379 mil fizeram o exame e 125 mil perderam, o equivalente a 33%. Em 2014, até o início deste mês de novembro, 119 mil candidatos perderam, o equivalente a 34%.


“O percentual de inaptos da teórica e prática é muito parecido, porém o número de candidatos do exame prático é maior. “Tem gente que perde a teórica e não continua o processo. E a prova prática acumula de um ano para o outro, por isso tem um número maior de pessoas realizando a prova. “Tem também aqueles que fazem várias vezes até passar e nesse caso entra na estatística daquele ano”, justifica Major Luide.


De acordo com o assessor técnico, o principal motivo das reprovações nos exames práticos é a condição emocional do candidato. “O nível de estresse, o nervoso, a tensão da avaliação, isso são fatores que decidem. O segundo motivo é porque não estão preparados e se aventuram a realizar o exame. A legislação diz que completadas as aulas você já está apto, mas às vezes a pessoa não se sente segura. Então o controle emocional é determinante para que o candidato obtenha um bom resultado”, explicou.


As cidades do interior da Bahia que mais têm índices altos de reprovação são as que possuem a maior frota. São elas: Feira de Santana, Vitória da Conquista, Camaçari e Lauro de Freitas. O Major Luide ressalta que a rigorosidade da formação de condutores implica na melhor preparação e no objetivo principal do Código Brasileiro de Trânsito.


“O CTB, que entrou em vigor em 1998, foi criado com a proposta de dar mais segurança no trânsito, diminuindo os índices de acidentes, e a linha base para isso é melhorar a formação dos condutores. Esse processo de primeira habilitação há uma tendência de cada dia ficar mais rigoroso”, avaliou. 

FONTE: Tribuna da Bahia
REPORTAR ERROREPORTAR ERRO

TVGeral

Desafio dos Craques, com a presença de Jorge Wagner
Publicidade
Corre que cura
DESAFIO CORRER É VIDA
Radio Geral 2
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia
Ornamentação e Decoração de Festas