Feira de Santana
+30...+30° C
Dólar:   R$ 3,412
Euro:   R$ 4,191
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Feeds

Segurança

todas as notíciasseta


OAB pede interdição parcial do Conjunto Penal de Feira

Órgão diz que Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado em 2016, que prevê ampliação da unidade e adoção de medidas de segurança, ainda não foi cumprido


13/04/2018 às 07:40h

OAB pede interdição parcial do Conjunto Penal de Feira
Crédito: Almir Melo/TV Subaé

Ordem dos Advogados do Brasil, Subseção de Feira de Santana, cidade a 100 quilômetros de Salvador, informou que pediu à Justiça, na última quinta-feira (12), a interdição parcial do Conjunto Penal do município, pelo não cumprimento de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado em 2016, que prevê ampliação da unidade e adoção de medidas de segurança.

 

A unidade prisional abriga, atualmente, 1.971 detentos, 615 a mais que a capacidade, segundo dados da Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização (Seap).

 

Conforme a OAB, em 2016, após uma ação civil pública movida pelo Ministério Público, a Justiça pediu a interdição parcial do presídio por conta de irregularidades, mas houve um acordo em quem o governo do estado se comprometeu fazer melhorias no local.

 

O acordo foi firmado no Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), que, segundo a OAB, prevê 16 exigências que deveriam ter sido cumpridas pelo governo. Entre as exigências estão a liberação de um minipresídio de dois módulos, para ampliar a unidade, instalação de serpentinas ao redor do muro do Conjunto Penal, entre outros pontos.

 

A OAS diz, no entanto, que nenhum dos pontos foi cumprido pelo governo. Afirma também que a unidade de Feira de Santana conta com poucos agentes penitenciários - 170 - e que, mesmo diante disso, o estado não convocou candidatos aprovados no último concurso de agentes penitenciários.

 

"Mais de um ano se passou e o governo não realizou nenhum dos pontos do TAC. Em 2016, o MP, por constatar o estado caótico do sistema penitenciário, moveu a ação civil pública pedindo que a unidade fosse interditada e o pedido de liminar foi deferido na época. O governo, então, assinou esse TAC, mas não cumpriu. Para piorar, o governo não convocou aprovanos no último concurso. Com isso, hoje o local tem 170 agentes para cuidar de quase 2 mil presos", disse ao G1 o presidente da OAB-Feira de Santana, Marcus Carvalhal.


"Nesse meio tempo, houve tentativa de convencer o estado a resolver a situação, mas o estado se manteve inerte. Não tomou nenhuma medida para sanar os problemas e causou instabilidade na classe jurídica, na comunidade carcerária e na comunidade que vive ao redor do presídio, por conta da falta de estrutura física adequada", completou Carvalhal.

 

O G1 entrou em contato com a assessoria de comunicação da Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização do estado da Bahia (Seap) e aguarda posicionamento do órgão sobre o caso.

REPORTAR ERROREPORTAR ERRO

TVGeral

José Ronaldo lança pré-candidatura ao governo da Bahia
Publicidade
Bruno Best Travel
PMFS Micareta
Vilage Marcas e Patentes
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia
Ornamentação e Decoração de Festas