Feira de Santana
+30...+30° C
Dólar:   R$ 3,127
Euro:   R$ 3,398
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram
  • Feeds

Copa 2014

todas as notíciasseta


Copa no Brasil: o que deu certo e o que deu errado

O Mundial acabou no domingo (13) sob elogios de estrangeiros e dos brasileiros


14/07/2014 às 10:39h

Copa no Brasil: o que deu certo e o que deu errado
Crédito: Reprodução

O Brasil voltou a receber uma Copa do Mundo após 64 anos e, apesar do pessimismo inicial – simbolizado pela frase "Imagina na Copa", que virou bordão e piada nas redes sociais –, o Mundial acabou no domingo (13) sob elogios de estrangeiros e dos brasileiros.


Nem todos os preparativos foram finalizados, muitas obras ficaram inacabadas, houve brigas, alagamentos em cidades-sede, invasão de estádio, mas, diante da expectativa inicial e com uma disputa de alto nível entre as seleções e muita festa dentro e fora dos estádios, o evento termina melhor do que se imaginou.


Veja a seguir o que deu certo e o que deu errado neste Mundial:


O QUE DEU CERTO


Hospitalidade


A recepção foi tão boa que os gringos querem voltar. Os estrangeiros elogiaram a atenção, a simpatia e, principalmente, a alegria dos brasileiros em ajudar e ser prestativos.


Acomodação


Não faltaram leitos nos hotéis; as caravanas de torcedores conseguiram acomodar seus carros e trailers; e até as areias de Copacabana, na Zona Sul do Rio, viraram abrigo para sacos de dormir, sempre com bom humor.


Comida


Farofa, pão de queijo, churrasco e outras comidas típicas fizeram sucesso dentro e fora dos estádios. Estrangeiros invadiram nossos restaurantes e bares, e entenderam por que os brasileiros comem tanto.


Transporte


Apesar do trânsito para ir aos jogos em algumas cidades-sede, esquemas especiais montados pelas prefeituras conseguiram amenizar os congestionamentos, como em São Paulo, que decretou feriado na abertura da Copa, no dia 12 de junho.


Protestos


As manifestações que antecederam o Mundial eram embaladas pelo grito de "Não vai ter Copa", mas diminuíram com o início da competição. Em junho, o número de atos em São Paulo foi 61% menor que em maio.


Greves


Paralisações às vésperas da Copa, como a dos metroviários em São Paulo e a da Polícia Militar na Bahia, não se repetiram durante o Mundial.


Gols


Um dos pontos positivos da Copa saiu dos pés dos jogadores do torneio, que vai ficar marcado por uma média impressionante de gols nas partidas. A torcida nos estádios, nas ruas e casas se animou a cada bola na rede.


Aeroportos


Teve turista que desceu no país errado. Teve torcedor que assistiu a jogo do aeroporto. Os atrasos de voos ocorreram, mas dentro da normalidade, e não prejudicaram a festa.


Fifa Fan Fest


A boa organização, os telões e as atrações da Fifa Fan Fest fizeram a alegria dos torcedores, que lotaram as festas para assistir aos jogos durante o Mundial. Todo mundo se divertiu.


Crianças


Os pequenos torcedores provaram que sabem se vestir, torcer e chorar pelo amor ao esporte.


Turismo


A Copa do Mundo também trouxe lucros. Apenas em São Paulo, a estimativa é que o Mundial tenha movimentado R$ 1 bilhão. O Ministério do Turismo ainda deve divulgar um balanço nacional.


Segurança


Houve protestos na abertura da Copa e um atirador de elite chegou a pedir permissão para abater um suspeito – que era um membro do esquadrão do Gate – na Arena Corinthians. Mas não houve grandes incidentes. A Polícia Federal impediu 267 estrangeiros de entrar no país.


O QUE DEU ERRADO


Trânsito


Torcedores enfrentaram filas em São Paulo, Salvador e Manaus nos primeiros jogos da Copa. Os congestionamentos fizeram com que muitos tivessem que assistir às partidas ou apenas ouvi-las dentro do carro.


Vila Madalena


O bairro boêmio virou "point" durante a Copa na capital paulista. A festa começou bem, mas a grande quantidade de pessoas travou ruas, que viraram uma "micareta fora de época", com direito a brigas, feridos, xixi pelas calçadas e tráfico de drogas.


Alagamentos


Natal, Recife e Porto Alegre enfrentaram alagamentos e deslizamentos após chuvas intensas. A pior situação ocorreu na capital do Rio Grande do Norte.


Filas


No primeiro jogo da Copa em Brasília, parte do público não entrou a tempo da partida no Estádio Nacional Mané Garrincha. Também houve reclamações sobre filas para comprar lanches e cerveja em vários estádios.


Cambistas


Centenas de cambistas foram detidos nos arredores dos estádios, e uma máfia de venda ilegal de ingressos, que teria atuado em quatro Copas, foi desbaratada em operação da Polícia Civil do Rio.


Brigas


Tumultos e brigas entre torcedores foram registrados pelo país, principalmente após a derrota do Brasil para a Alemanha por 7 x 1 na semifinal. Pelo menos 197 torcedores foram detidos.


Protestos


Mesmo em pouco número, as manifestações e a truculência da polícia viraram notícia durante a Copa. Duas jornalistas da emissora americana CNN se feriram após serem atingidas por estilhaços de bomba de efeito moral no dia da abertura, 12 de junho.


Mortes


Um jornalista argentino morreu em um táxi atingido por uma viatura durante perseguição policial em São Paulo, e uma jornalista também argentina foi vítima fatal de um acidente em Minas Gerais. Em Belo Horizonte, duas pessoas morreram após a queda de um viaduto que fazia parte das obras de mobilidade para a Copa.


Invasão


Chilenos sem ingresso invadiram uma área restrita do Maracanã, no Rio, derrubaram divisórias, televisões e armários. O governo federal e o Comitê Organizador local admitiram a falha.

 

Seleção


O Brasil começou bem, mas acabou tomando a maior goleada de todos os tempos da Alemanha: 7 x 1. A derrota virou piada na internet, mas também houve tumultos, brigas e ônibus incendiados pelo país depois da partida. 

FONTE: Com informações do G1
REPORTAR ERROREPORTAR ERRO

TVGeral

Bahia domina Flu de Feira no Joia e amplia vantagem na semifinal do Baianão
Publicidade
Instituto
Bruno Best Travel
Mamãe 6 estrelas
PMFS Gospel
Vilage Marcas e Patentes
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia
Ornamentação e Decoração de Festas